Arquivo para fevereiro \28\UTC 2009

Nota da Embraer sobre suspensão das demissões

“São José dos Campos, 27 de fevereiro de 2009 – O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, juntamente com outras entidades sindicais, entrou, ontem, dia 26 de fevereiro de 2009, com dissídio coletivo junto ao Tribunal Regional do Trabalho da 15ª região. Esta ação visa que o tribunal interprete a legalidade das demissões efetuadas pela Embraer sem prévia negociação sindical e inclui pedido de liminar pleiteando a suspensão cautelar das rescisões contratuais.

“O pedido de liminar foi deferido pelo Presidente do Tribunal, que determinou a suspensão das demissões em questão até o dia da audiência de conciliação, marcada para 5 de março de 2009. Esta decisão não acarreta a reintegração dos empregados.

“A Embraer reitera seu profundo respeito aos funcionários que tiveram seus contratos de trabalho rescindidos, mas novamente enfatiza a necessidade de se ajustar à drástica redução de demanda por aeronaves em todo o mundo.

“Nesse sentido, a Empresa pretende entrar ainda hoje com recurso junto ao Tribunal Regional do Trabalho, uma vez que procedeu as referidas dispensas rigorosamente de acordo com todos os preceitos e normas legais existentes.”

Anúncios

TRT suspende demissões da Embraer

Por Elizânio Silva

O Tribunal Regional do Trabalho de Campinas suspendeu as 4.270 demissões realizadas pela Embraer na semana passada.  A decisão foi assinada pelo presidente do Tribunal, desembargador Luis Cândido Martins Sotero.

 O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, que deve realizar uma manifestação ainda esta tarde em frente a portaria da fábrica, comemorou a medida e promete mais mobilizações.

A homologação das demissões na carteira de trabalho fica suspensa até o fim do julgamento do caso, previsto para o final de março. Na próxima semana, Embraer e Sindicato devem se reunir em Campinas para tentarem uma conciliação.

A decisão não é definitiva e cabe recurso por parte da empresa.

Lula recebe dirigentes da Embraer e não pede a revisão das demissões

Renata Veríssimo e Leonencio Nossa

Depois de se dizer indignado com as 4,2 mil demissões anunciadas pela Embraer na semana passada, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se limitou ontem a ouvir as explicações dos dirigentes da empresa. Após mais de duas horas de reunião, no Palácio do Planalto, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, informou que Lula continua inconformado, mas “não pediu que (a empresa) recontratasse os funcionários porque entendeu que era uma questão de demanda pela produção de aviões da Embraer”.

Miguel Jorge confirmou que o governo soube por meio da imprensa, em dezembro, que a empresa poderia fazer um corte de até 20% no total da mão de obra empregada. Ele contou que telefonou, na época, para dirigentes da Embraer, que negaram a informação. O ministro relatou ainda que Lula recebeu a notícia da decisão final da Embraer na quinta-feira, pela manhã. À tarde, após o anúncio da empresa, assessores do presidente informaram que Lula estava surpreso com a decisão.

Ontem, o presidente da Embraer, Frederico Curado, disse que não houve negociação prévia com o governo, que teria sido avisado nas vésperas das demissões. “Não é problema do governo, ou com o Brasil. O problema é do mercado internacional.” Ele afirmou que a Embraer só voltará a contratar quando houver aumento das encomendas por aeronaves.

O Estado de S. Paulo, 26 de fevereiro de 2009.

Charge – Néo

102935662

Explicações

Por Elizânio Silva

A direção da Embraer deve se reunir ainda hoje com o presidente Lula, com o ministro do desenvolvimento Miguel Jroge e outros ministros da área econômica. Na reunião, Lula deve cobrar explicações da empresa que na semana passada demitiu 4.270 funcionários.

Ao saber das demissões, o presidente Lula manifestou seu descontentamento, uma vez que a Embraer recebeu mais de R$ 500 milhões em financiamentos pelo BNDES.

Foi a segunda maior demissão em quarenta anos de existência da companhia brasileira. A primeira ocorreu em 2001, após os ataques terroristas aos Estados Unidos.

A assessoria de imprensa da Embraer não confirmou a reunião.

Carnaval 2009!

carnaval13Queridos amigos!

Em virtude do feriado de carnaval vamos ficando por aqui, mas estaremos de volta na quarta-feira, dia 28 de fevereiro, com informações, opiniões, serviços e utilidade pública.

Curtam a folia com cautela. Se for dirigir, não beba, use camisinha, seja responsável, não transforme sua alegria na tristeza dos outros. E claro, divirtam-se!

Um grande abraço!

Equipe É ÓBVIO!

Nota da Força Sindical sobre demissões da Embraer

A Força Sindical e o Conlutas, juntamente com a Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Sindicato dos Metalúrgicos de Botucatu e Sindicato dos Metalúrgicos de Gavião Peixoto, irão entrar na próxima quarta-feira (25 de fevereiro) com uma Ação Judicial no Tribunal Regional de Campinas (TRT).

As entidades sindicais irão pedir que o TRT reconheça a ilegalidade da dispensa coletiva praticada de forma irregular pela Embraer. A Ação reclama das 4.200 demissões, divulgadas ontem, aconteceram de forma unilateral, sem abertura de negociação com os legítimos representantes dos trabalhadores.

As entidades também irão cobrar a responsabilidade social da empresa, que durante anos recorreu ao BNDES, com ajuda financeira de dinheiro público, e agora pratica atos antidemocráticos e ilegais, penalizando os trabalhadores.