O Senado e a crise

Por Elizânio Silva

A crise deflagrada no senado desde que José Sarney (PMDB-AP) assumiu a presidência, já tomou proporções incontroláveis. E o que fazer para acabar com a crise? Antes de qualquer coisa, vale lembrar qual a verdadeira função de um senador e as condições para chegar a tal posto.

É atribuição do senador da república defender os interesses do seu Estado de origem. Evidentemente todos legislam pensando no país, porém com ênfase para as necessidades prioritárias do seu estado.

Para ser senador é preciso que o candidato tenha mais de trinta e cinco anos, isso por que, a experiência e a maturidade, são de extrema importância para que o candidato ocupe esse cargo tão relevante politicamente.

Geralmente os candidatos ao senado são raposas velhas do cenário político, quando chega ao senado federal o candidato a esse posto já ocupou diversos cargos públicos. Na atual legislatura ocupam o senado ex-governadores, ex-deputados, ex-ministros, ex-secretários de estado e até ex-presidentes da república, ou seja, experiência não falta aos ocupantes da principal Casa Legislativa do país.

A última semana foi quente no senado. Na terça-feira, da tribuna da casa, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) pediu que Sarney renunciasse à presidência. Para Simon seria um ato de grandeza do ex-presidente da república e daria mais autenticidade as possíveis investigações das denúncias contra Sarney. No mesmo instante a tropa de choque que defende José Sarney reagiu.

De um lado Renan Calheiros (PMDB-AL), sim, ele mesmo que renunciou a presidência do Senado em 2007 após uma tsunami de denúncias. À época o então presidente do senado foi acusado de ter contas pagas por lobistas, além de ter um caso com a jornalista Mônica Veloso com quem teve uma filha. Renan saiu em defesa de Sarney e atacou Simon dizendo que o esporte preferido do senador gaúcho é falar mal do presidente Sarney. Do outro lado, também se sentindo atacado pelo discurso contundente de Simon, o ex-presidente da república e atual senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL). Sim, Collor, aquele que sofreu impeatchmant em 92 e teve os direitos políticos cassados por oito anos. Collor disse para que da próxima vez que Simon citasse seu nome, ele engolisse as palavras, digerisse da forma que quisesse e usasse da maneira que achasse conveniente, uma verdadeira baixaria.

Na quinta-feira, foi à vez dos senadores Tasso Jereissatti (PSDB-CE) e de novo Renan Calheiros (PMDB-AL), abalarem de vez as estruturas do senado. Os dois protagonizaram uma das discussões mais baixas dos últimos tempos.

Tudo começou após a leitura da representação contra o líder tucano Arthur Virgílio (PSDB-AM), que é acusado de contratar personal trainer e pagar cursos para um assessor na Espanha com dinheiro público. Depois se seguiu o “diálogo”:

Tasso Jereissati (PSDB-CE):
“Eu pediria, senhor presidente, duas coisas. Primeiro, que fosse dado ao senador Artur Virgílio o mesmo tempo que foi dado ao senador Renan em função das graves colocações, graves e agressivas colocações que foram ditas. Outra coisa, senhor presidente: existem manifestações aqui nessa tribuna de honra, eu pediria que retirassem esse senhor aqui que está fazendo constantes manifestações, porque não está de acordo com o regimento.”

Renan Calheiros (PMDB-AL):
“A respeito da manifestação do senador Tasso Jereissati, essas crises acontecem por isso, porque é a minoria com complexo de maioria. Quer expulsar agora um cidadão que está aqui participando de uma sessão que infelizmente é uma sessão histórica do Senado Federal.”

Tasso:
“Que me desculpe, senador Renan. Senador Renan, não aponte esse dedo sujo pra cima de mim. Não aponte esse dedo sujo pra cima de mim! Estou cansado de suas ameaças.”

Renan:
“Esse dedo sujo, infelizmente, é o de Vossa Excelência! São os dedos dos jatinhos que o Senado pagou.”

Tasso:
“Pelo menos era com meu dinheiro. O jato é meu, não é dos seus empreiteiros.

Renan:
“O dinheiro é seu?”

Tasso:
“É meu, é meu, é meu, é meu! Eu tenho pra falar, tá?

Renan (Fora do microfone):
Coronel…

Tasso:
Eu, coronel? Cangaceiro, cangaceiro de terceira categoria…”

Renan:
“O senhor é coronel!”
(Renan baixa o microfone e diz: “Seu merda”, segundo relato dos senadores próximos)

Tasso:
“Repete o que você disse. Decoro parlamentar, repete o que você disse!”

Renan:
“Não é coronel?”

Tasso:
“Repita o que você disse aí!”

Renan:
“Me respeite.”

Tasso:
“Repita o que você disse aí!”
Renan:
“Você é minoria com complexo de maioria.”

Tasso:
“Repita o que você disse aí!”

Renan:
“Você é minoria com complexo de maioria. Me respeite!”

Tasso:
“Presidente, o senador Renan Calheiros acabou de quebrar o decoro parlamentar, me dirigindo com palavras de baixo calão. Eu peço que seja feita uma representação sobre isso.”

Renan:
“Presidência, eu peço desculpas e peço para Vossa Excelência retirar da sessão de hoje que ?minoria com complexo de maioria é falta de decoro parlamentar?.”

Acredito que o senado federal chegou ao fundo do poço, é hora dos senadores tomarem vergonha na cara e lembrar que não foram eleitos para defender uns aos outros, foram eleitos para defender os interesses dos eleitores que os elegeram. Sarney fará um grande bem à nação se pelo menos licenciar-se da presidência do senado, sua manutenção no comando da casa tornou-se insustentável.

Todo esse espetáculo vergonhoso não deve ser esquecido, no ano que vem muitos desses senhores vão às ruas pedir seu voto, nessa hora são bom moços, honestos e comprometidos com o bem da sociedade, mas existe um ditado que diz: “O poder não muda a face das pessoas, a revela”.

Que a sociedade brasileira tenha sabedoria e maturidade para exterminar da vida pública esses malandros travestidos de políticos.

Anúncios

0 Responses to “O Senado e a crise”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: