Zilda Arns

Por Elizânio Silva

A vida é uma verdadeira caixinha de surpresas e nos impressiona a cada dia. Quem poderia imaginar que 2010 teria um início tão trágico?

No Brasil, as chuvas do início do ano levaram centenas de vidas e deixou milhares de desabrigados. Destruiu lares de brasileiros trabalhadores e levou a esperança de um ano novo e melhor.

No Haiti, um terremoto que atingiu 7.3 graus na escala Richter assolou o país, matou cerca de 50 mil pessoas e deixou três milhões de desabrigados, segundo dados preliminares da ONU. Desse total, catorze soldados brasileiros em missão de paz perderam a vida, sete deles eram do Vale do Paraíba.

Mas o que mais surpreendeu e abalou o povo brasileiro, foi à morte da médica sanitarista e fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns. A mulher que chegou a ser comparada a Madre Teresa de Calcutá, por seu trabalho humanitário em diversos países, morreu em ação enquanto levava esperança de uma vida melhor aos haitianos. 

Zilda Arns fez muito pelo Brasil e me atrevo a dizer que a médica paranaense fez mais do que muito governo. Atuou com uma agente pública sem mandato, com respeito, responsabilidade social e com a sensibilidade de alguém que veio ao mundo para servir.

Foi através do trabalho da Dra. Zilda, que a Pastoral da Criança criou a multi mistura farinha milagrosa feita à base de casca de ovo e farelo de trigo, e que salvou a vida de milhares de crianças em todo o país.

Com sua voz mansa e suave, dona Zilda ganhou respeito e não teve medo de trabalhar pelos mais pobres. Ao longo de quase trinta anos, atuou incansavelmente para transformar a Pastoral da Criança em referência no combate a mortalidade infantil. Os números são inquestionáveis e impressionam qualquer governo.

Mesmo sem a sua principal liderança a Pastoral da Criança vai continuar o trabalho começado pela Dra. Zilda. A semente plantada por ela germinou, criou raiz e se fortificou ao longo dos anos. Seu trabalho, reconhecido mundialmente, trará ao seu velório diversas autoridades internacionais entre elas a Secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

A morte de Zilda Arns nos leva a refletir sobre o verdadeiro sentido da vida, nos faz pensar para que estamos aqui e nos deixa a lição: existimos para nos doar ao próximo e transformar a vida das pessoas.

Enfim, creio que o Brasil ficou órfão. Que Deus conceda o descanso eterno à “mãe” de milhares de brasileiros, Zilda Arns.

Anúncios

2 Responses to “Zilda Arns”


  1. 1 walison janeiro 16, 2010 às 6:46 am

    Muito boa essa sua matéria Elizanio concerta não só Brasil mas o mundo perdeu uma grande mulher…..

    parabéns pela matéria….

    Att: walison

  2. 2 Edson janeiro 18, 2010 às 5:26 am

    “A Pastoral da Criança e a Pastoral da Pessoa Idosa sentirão um grande vazio em sua caminhada. Por outro lado, temos a certeza de que, lá do céu, Dra. Zilda continuará a sua incomparável obra iniciada aqui na terra; jamais se apagará da memória nacional o bem inestimável idealizado por esta incansável e destemida mulher, que passou por este mundo gastando a sua vida a serviço dos preferidos do Pai” (dom Nelson Westrupp).


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: