Renovação na política

Por Elizânio Silva

Em todas as eleições gerais que acontecem no Brasil, Rio de Janeiro e São Paulo são sempre os estados mais visados pela importância estratégica para o país. Minas Gerais por sua vez, ganha notoriedade por ser o segundo maior colégio eleitoral.

Embora esses estados tenham importância e seus políticos sejam tradicionais, falta opção para o eleitor brasileiro quando se fala em renovação do quadro político nacional.

São Paulo tem nomes como Geraldo Alckmin, que pode comandar o Estado pela terceira vez, os petistas Mercadante, Marta e Eduardo Suplicy, o PMDB tem Orestes Quércia que é ‘dono’ da legenda paulista. Os cariocas também têm suas figurinhas carimbadas, como o atual governador e candidato a reeleição Sérgio Cabral (PMDB), o democrata César Maia e o ‘verde’ Fernando Gabeira. Em Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB) reina absoluto e deve ser eleito para o senado com votação recorde.  

Mas o que tem chamado a atenção nos últimos tempos e sobretudo nesse pleito, é o surgimento de novas lideranças estaduais que com o andar da carruagem, podem se tornar referências políticas com força nacional e surpreender as velhas raposas nas próximas eleições.

Vale citar o jovem Beto Richa (PSDB) ex-prefeito de Curitiba, o tucano é candidato ao governo do estado e lidera todas as pesquisas de intenção de voto. Eleito em 2004 com mais de 400 mil votos para comandar a capital paranaense, Richa conseguiu a reeleição em 2008 com cerca de 77% dos votos válidos, ou mais de 778 mil adesões.   

Beto Richa tem o jeito diferente de fazer política, venho acompanhando pela internet o dia a dia da sua campanha no Paraná e tenho percebido que Beto Richa é um político moderno, mas que quando se trata de buscar voto ele age como se deve, o corpo a corpo é a principal marca do candidato. Richa tem crescido em todo o estado, podendo até ser eleito no primeiro turno. Caso seja eleito e seu desempenho à frente do governo paranaense seja satisfatório, Richa pode despontar como um nome forte do PSDB para concorrer na próxima eleição presidencial em 2014.

Já no nordeste ressalto o trabalho do governador pernambucano e candidato a reeleição, Eduardo Campos (PSB). Neto de Miguel Arraes, um dos principais políticos brasileiros, o governador do Pernambuco tem seu trabalho muito bem avaliado pela população de seu estado e lidera todas as pesquisas de opinião. Campos deve ser reeleito no primeiro turno derrotando o ex-governador Jarbas Vasconcellos (PMDB).

É claro que a renovação política no Brasil não vai acontecer do dia para noite, durante muitos anos ainda iremos conviver e ver aquelas velhas raposas que já entraram para a história política brasileira. A renovação é extremamente importante num país como o Brasil, que tem os políticos como uma classe que transmite pouca confiança à população.  

A renovação também passa por uma questão de consciência política, que ainda falta aos brasileiros. Precisam entender que o voto não é uma mercadoria que pode ser trocada por alguns reais ou ainda por algum benefício concedido pelo governo, o voto é a arma do eleitor contra boa parte das mazelas da sociedade e sobretudo, o principal remédio contra a corrupção.

0 Responses to “Renovação na política”



  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: