Arquivo de novembro \19\UTC 2010

Prefeitura realiza seminário de calçadas e acessibilidade urbana

A Prefeitura de São José dos Campos, em parceria com a Urbam e a ABCP (Associação Brasileira de Cimento Portland), realiza no próximo dia 8 de dezembro (quarta-feira) o 1º Seminário de Calçadas e Acessibilidade Urbana, das 8h às 13h, no Parque Tecnológico (Rodovia Presidente Dutra, km 137,8), em Eugênio de Melo.

O objetivo do seminário é promover um amplo debate com a sociedade civil, administrações públicas e terceiro setor, sobre as práticas, experiências e o desenvolvimento da acessibilidade urbana no contexto das calçadas e passeios públicos.

O evento faz parte das ações do Programa Calçada Segura que visa conscientizar a população sobre a importância de construir, recuperar e manter as calçadas da cidade em bom estado de conservação e acessibilidade de todos, principalmente idosos, gestantes e pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Além da apresentação do Programa Calçada Segura, o seminário trará cases de outras cidades do Estado que desenvolvem sistemas de calçadas e ações voltadas à acessibilidade e mobilidade urbana.

O seminário é destinado a gestores públicos, profissionais da área de projetos e execução, engenharia, arquitetura e urbanismo, transporte e estudantes das áreas citadas e sociedade civil em geral.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até o dia 3 de dezembro, exclusivamente pelo site www.anggulo.com.br/sjccalcadas. Mais informações (12) 3947-8806.

Do site da Prefeitura Municipal

Alckmin nomeia coordenador de campanha para chefiar a Casa Civil em SP

Guilherme Balza
Do UOL Notícias
Em São Paulo

Em anúncio feito na tarde desta terça-feira (16), o governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), nomeou quatro secretários que irão participar de sua administração no Palácio dos Bandeirantes a partir de janeiro do ano que vem.

O tucano escolheu Sidney Beraldo, coordenador de sua campanha e chefe da equipe de transição, para ocupar a Casa Civil, posto estratégico que faz a ponte entre o Executivo e o Legislativo paulista.

Beraldo, antigo conhecido do governador eleito, foi secretário de Gestão Pública na gestão José Serra e já ocupou a presidência da Assembleia Legislativa de São Paulo (03/2003-03/2005), quando teve bom relacionamento com Alckmin, governador na época.

Para a Saúde, Alckmin nomeou Giovanni Guido Cerri, atual diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). A decisão põe fim ao mistério em torno do futuro comandante da pasta que gerencia a rede ambulatorial e hospitalar no Estado.

Com a morte de Luiz Roberto Barradas Barata, médico sanitarista que chefiou a Secretaria de Saúde de 2003 até seu falecimento, em julho deste ano, Alckmin ficou sem um herdeiro para o cargo. O outro cotado para o posto era David Uip, diretor do Instituto de Infectologia Emílio Ribas.

O tucano ainda anunciou que a atual secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, seguirá no cargo. Ela é  é médica fisiatra e professora da Faculdade de Medicina da USP e coordenadora do Grupo de Trabalho do Comitê de Humanização do Hospital das Clínicas de São Paulo.

O quarto nome divulgado hoje é do novo titular da Casa Militar. O posto ficará com o coronel Admir Gervásio, que será responsável também pela Defesa Civil. Atual corregedor da Polícia Militar – nomeado para conter suspeitas de conivência da corporação com policiais infratores – Gervásio chega ao cargo com um espírito moralizador.

“Sem pressa”

O governador eleito afirmou não ter pressa para divulgar os nomes dos próximos secretários. De acordo com Alckmin, os anúncios devem começar a ser feitos no final deste mês. “Não tem correria. Fim de novembro, começo de dezembro, vamos começar a ouvir os partidos e anunciar outros nomes. Hoje, por exemplo, recebemos um cojunto de sugestões do PPS”, afirmou o tucano.

Alckmin afirmou ainda que uma possível fusão entre os partidos aliados do PSDB no Estado (PPS, DEM e PMDB) não influenciará na distribuição das pastas.

No anúncio, o tucano confirmou que irá criar a Secretária de Gestão e Desenvolvimento Metropolitano e sinalizou que também extinguirá algumas pastas.

A expectativa é que o governador extingua a Secretaria do Ensino Superior –pasta que perdeu força após Serra alterar, em 2007, os decretos que subordinavam as universidades estaduais ao Executivo– e transforme a Secretaria de Comunicação em assessoria da Casa Civil.

“Serão poucas alterações. O Serra tem uma ótima equipe. Faremos um trabalho de continuidade”, disse Alckmin.

O futuro secretário-chefe da Casa Civil continuará sendo o braço direito de Alckmin na articulação política para a composição do novo governo. Questionado sobre a participação do candidato derrotado José Serra, Beraldo disse que o ex-governador é um “grande homem” e que seria fundamental tê-lo na próxima gestão.

Secretarias polêmicas

O governador eleito evitou falar sobre a nomeação de secretários de pastas polêmicas, como Educação, Segurança Pública, Transportes e Transportes Metropolitanos.

A pasta mais espinhosa é a de Segurança Pública, na qual Alckmin enfrenta o dilema de manter o atual secretário, Antonio Ferreira Pinto, ou indicar outro nome. À imprensa, o secretário afirmou recentemente que há um lobby para que ele deixe a pasta por estar investigando e punindo policiais com mais rigor.

A escolha de Ferreira Pinto poderia indicar que Alckmin acabou influenciado pelo noticiário. A indicação de outro nome, no entanto, poderia sugerir que o governador eleito cedeu ao lobby contra o atual secretário.

Para a Secretaria de Educação, setores do PSDB defendem a continuidade de Paulo Renato, figura de peso dentro do partido. Outros aliados de Alckmin defendem a nomeação do deputado estadual Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), o segundo mais votado nas eleições.

No entanto, Barbosa foi secretário-adjunto de Gabriel Chalita (PSB), enquanto este foi secretário da Educação. Atualmente, Chalita é aliado da presidente eleita Dilma Rousseff e cogitado para ocupar o MInistério da Educação, o que dificulta a escolha de Barbosa para a secretaria.